Skip to content

A ditadura do relativismo já começou

julho 24, 2006

Há ateus que no dia-a-dia se comportam melhor que muitos religiosos.

E por isso, dizem, a fé é desnecessária para a formação moral. Os deveres do homem não dependem de Deus.

Pergunto então: se a moral não depende de Deus, depende do quê? Qual a base de uma moral sem Deus?

Sem um fundamento absoluto, o que motiva o ateu a se comportar de um jeito e não de outro? De onde o ateu tira sua escala de valores?

A única saída lógica é dizer que cada um deve construir sua escala de valores. Cada indivíduo deve ser autônomo em sua moral, decretando seus dez mandamentos.

Assim, para este não há mal em fornicar, desde que o parceiro não seja forçado. Para outro, roubar é crime, mas assassinar o filho no ventre é um direito da mulher. Aquele é muito rico e dá grandes somas para ajudar os pobres, mas também financia a propaganda contra a religião. E existe ainda um que deseja acabar com as desigualdades entre os homens por meio da força.

Se cada homem faz sua moral, o que se cria é uma torre de Babel, uma confusão, em que ninguém mais sabe o que é o bem e o que é o mal.

Felizmente, Deus colocou na própria natureza humana algumas noções morais básicas que mesmo o ateu não pode deixar de reconhecer.

O ateu inventa desculpas justificar racionalmente sua moral: os conceitos de bem e mal possuem origem física, no funcionamento do cérebro, na evolução darwiniana. São estratégias de sobrevivência que ajudaram nossa espécie.

Se é assim, algum cientista pode reprogramar a química do cérebro, criando um homem sem moral.

Aliás, esse homem já existe na natureza: é o psicopata, o verdadeiro super-homem nietzschiano.

Hitler, Lênin, Stalin, Pol-Pot, Mao, Fidel Castro e outros da mesma laia mostram aonde leva a moral sem Deus.

A maldade desses homens, para o ateu, não é absoluta.

Eles criaram suas próprias regras e foram coerentes com elas até o final.

E assim concluímos que os ateus bons e virtuosos, mais honestos que muitos religiosos, não podem condenar o mal absolutamente.

Sua moral é fraca, é apenas uma forma de arrumar os átomos dentro do cérebro para produzir bem-estar.

Em muitos pontos a moral atéia pode concordar com a moral baseada em Deus.

Mas a moral atéia está fora de contato com a realidade, é puro subjetivismo.

Muitos ateus levantam bandeiras imorais: aborto, eutanásia, uso de embriões em pesquisas, sexo livre, pedofilia, homossexualismo…

E o pior é que, dizendo-se relativistas, querem impor sua imoralidade aos outros por meio de leis.

É daí para pior. A ditadura do relativismo já começou.

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: