Skip to content

Apedrejem-me…

abril 1, 2013

Stoning

Os seguintes pontos são racionalmente defensáveis:

– O fim principal do sexo em nossa espécie é a procriação e, portanto, a constituição de uma família. Daí a necessidade natural da instituição do casamento. O fim secundário é a união dos esposos, homem e mulher, de modo que um ajude e busque o bem do outro em suas necessidades.

– Para o bem dos filhos, para o bem dos esposos, o casamento deve ser, em geral, indissolúvel, e o divórcio não deve ser permitido (*).

– O casamento deve ser monogâmico, tendo em vista o seu fim secundário.

– O sexo fora do casamento é ilícito, pois ou nega o caráter procriativo da união ou não reúne as condições necessárias para o bem da prole.

– Os atos homossexuais são um gravíssimo desvio da sexualidade humana em relação ao seu fim.

– Não pode existir casamento entre homossexuais, nem os homossexuais praticantes podem ser autorizados por lei a imitar uma estrutura familiar natural por meio da adoção de filhos.

– O uso de meios que visam a destruição temporária ou permanente da fecundidade do ato conjugal, ou seja, tudo o que torna o ato conjugal (de outro modo fecundo) infecundo (pílula, camisa de vênus, DIU, ligação de trompas, vasectomia, contraceptivos em geral), é imoral em si mesmo e também contradiz o fim secundário do casamento.

– A masturbação é um grave desvio da sexualidade humana em relação ao seu fim.

– A produção e consumo de pornografia é degradante e imoral, pois converte a pessoa em um objeto de consumo descartável e desumaniza as relações entre homem e mulher.

– O uso indevido dos órgãos sexuais tendo como único fim a obtenção de prazer (sexo oral, sexo anal, sexo grupal, bestialidade, etc.)  é contrário à natureza e, portanto, imoral.

– O laço conjugal deve ser respeitado pelos cônjuges. O adultério é sempre gravemente ilícito.

– O incesto fere gravemente a integridade familiar e ameaça a perpetuação da espécie.

– A pedofilia, o estupro, são sempre atos hediondos e abomináveis, gravemente contrários à natureza humana.

– O uso de técnicas de inseminação artificial é sempre gravemente imoral. Não existe direito ao filho.

Do ponto de vista da Revelação:

– Deus criou o homem e a mulher para serem uma só carne e assim colaborarem para o crescimento e multiplicação da humanidade.

– Nosso Senhor elevou a união natural do casamento, conferindo-lhe uma nova dignidade, através do sacramento do matrimônio.

(*) Saindo do âmbito da razão natural, o SACRAMENTO do matrimônio é SEMPRE indissolúvel.

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: